Entrevistando Livros 43: Livro – Ventos Nômades – Manuela Marques Tchoe

Entrevistando Livros

Está no ar a 43ª edição da coluna “Entrevistando Livros”, por aqui desafiamos os autores nacionais a responderem uma entrevista de uma maneira inusitada! Isso porque aqui no Portal S4, quem deve responder nossas perguntas não é o autor convidado, mas sim um de seus personagens! O personagem em questão responde nossas perguntas, e ao fim da entrevista realizamos uma breve análise da personalidade do mesmo. Além disso, dizemos se ficamos ou não interessados em conhecer o livro do qual o personagem faz parte. Achou a dinâmica da coluna interessante? Quer participar com um de seus livros? Para isso é super simples! Responda às questões abaixo e encaminhe as mesmas para o e-mail: portals4tv@gmail.com. Com o assunto “Entrevista com o personagem tal, do livro X, do autor Y”, feito isso basta aguardar o nosso retorno com a data que a entrevista será publicada! Abaixo às perguntas: Perguntas:

  1. Qual seu nome?: Como prefere ser chamado (a)?
  2. Qual sua idade?
  3. Como você descreveria o lugar onde vive?
  4. Se tivesse que se definir numa palavra, qual seria?
  5. Agora diga como sua resposta anterior reflete em sua vida como um todo?
  6. Possui algum talento/dom especifico? Fale um pouco sobre ele.
  7. O que costuma fazer em seu tempo livre?
  8. Qual seu tipo favorito de roupas?
  9. E seu estilo musical?
  10. O que te torna diferente do resto das pessoas do seu mundo? E porque?
  11. Se tivesse que falar sobre o autor “fulano de tal”, o que falaria?
  12. Se pudesse mudar algo em sua vida, o que faria diferente?
  13. Resuma sua vida em poucas palavras.
  14. Deixe uma mensagem para seus amigos
  15. E agora para seus inimigos.
Bem agora que já fizemos nosso “merchandising”, vamos a entrevista  do dia! Nesta semana iremos receber à Danielle que veio direto do livro “Ventos Nômades” da autora Manuela Marques Tchoe. Confira a entrevista abaixo: 1.Qual é o seu nome? Como prefere ser chamado(a)? Meu nome é Danielle, apesar da autora não ter mencionado esse fato no conto. Mas tudo bem. 2.  Qual sua idade? 22 anos. 3. Como você descreveria o lugar onde vive? No momento estou no limbo quanto à minha moradia. Estava morando na Alemanha, daí peguei minha mochila e fui para a Turquia. Estava quase voltando para o Brasil para terminar a faculdade, mas… eu acabei desistindo de tudo e estou caminhando diversas estradas. Minha casa é o mundo! 4.  Se tivesse que se definir numa palavra, qual seria? Com certeza, a palavra alemã Wanderlust! 5.  Agora dia como sua resposta anterior reflete em sua vida como um todo?  Wanderlust significa desejo de explorar (Wander vem de caminhar e lust de vontade ou desejo). Digo isso porque no momento a única coisa que tenho vontade, algo intenso mesmo, é de caminhar por aí. No momento estou descobrindo a região da Capadócia na Turquia e eu ando, ando, ando, ando o dia inteiro, e não quero parar. Tudo ao meu redor é fascinante e uma descoberta nova a cada dia. Não sei se será assim a minha vida toda, mas no momento não consigo me imaginar com uma rotina certinha, todos dias vendo as mesmas coisas, as mesmas pessoas, os mesmos lugares… 6. Possui algum talento específico? Fale um pouco sobre ele. Adoro conversar com estranhos e descobrir suas histórias! Sou daquelas pessoas que pode passar horas só ouvindo a vida de outras pessoas. É como me conectar com elas mesmo que  nunca mais nos encontremos nesse mundão. Foi assim que eu conheci uma grande amiga, Dilek. Foi ela quem me ajudou quando eu fiquei entre a fronteira da Turquia e da Bulgária. Mesmo sendo muito diferente de mim, ela me estendeu a mão. Nós conversamos durante a viagem e assim, do nada, nasceu uma amizade inusitada. 7. O que costuma fazer no seu tempo livre? Acho que viajar não conta, né? Mas eu adoro observar pessoas, ler livros. Gosto de conversar com outras pessoas, mas também gosto de solitude. 8. E seu estilo musical? Boa pergunta, é difícil dizer. Mas não vou mentir que nos últimos tempos bateu uma saudade imensa de forró. Do ritmo, do xote… quando eu voltar para o Brasil, tudo o que eu quero é dançar no ritmo do baião! 9. O que te torna diferente do resto das pessoas do seu mundo? E por quê? Não sei se sou diferente. Mas eu sou uma pessoa impulsiva. Sigo meus instintos e não me importo muito com o que as pessoas acham. Acredito que muitas pessoas têm o desejo de explorar, de viver o tal do Wanderlust, mas têm medo, ou deixam para depois. Eu vivo minha vida no agora. Talvez isso seja diferente, essa coisa de querer viver hoje e de seguir meu coração, sempre. 10. Se tivesse que falar sobre a autora Manuela Marques Tchoe, o que falaria? Gente boa e super viajante! Ela me deu vida baseado numa de suas experiências. Você sabia que ela, juntamente com duas amigas, ficou entre a fronteira da Turquia e da Bulgária no meio da noite porque não tinha um visto de trânsito? É verdade, isso aconteceu. Só achei uma pena que ela me deixou sem nome lá no conto, mas tudo bem, ninguém é perfeito. 11. Se pudesse mudar algo em sua vida, o que faria diferente? Existe uma certa pressão de que eu decida o que fazer da vida. Minha família me pressiona para que eu volte e retome meus estudos. Para que eu seja “ alguém na vida”. Mas eu sinto que já sou alguém na vida, que minha experiência pode ser um pouco alternativa, mas estou no caminho certo. Talvez eu não faça dinheiro com esse estilo de vida nômade, mas será que isso realmente importa? O que gostaria de deixar para trás são essas dúvidas e seguir meu caminho com coração leve. 12. Resuma sua vida em poucas palavras. Desde que resolvi ficar na Turquia, estou na região da Capadócia. Desde a semana passada estou em Göreme, um lugar misterioso, cheio de cavernas esculpidas pelo tempo assim como nossos antepassados. Dentro das rochas existem santuários bizantinos de pedra. Por algum motivo, ainda não consegui me despedir desse lugar… então resolvi ficar um tempo. Mas até quando e quais serão meus próximos passos, isso não sei dizer. 13. Deixe uma mensagem para seus amigos Não tenham medo de mergulhar no mundo, pois às vezes é perdendo-se por aí que encontramos quem realmente somos. 14. E agora para seus inimigos. Não que eu tenha inimigos, mas… para aqueles que ficando me atazanando para que eu tome tenência na vida, eu digo: vão cuidar da vida de vocês, ora bolas! Análise: Danielle tem uma personalidade aventureira. Ela parece ser o tipo de pessoa que busca viver o hoje, sem pensar no amanhã. Por suas respostas, ela dá a entender que não se importa com nada que possa dar errado em sua jornada, tudo que lhe interessa é vivenciar o momento. Aproveitando tudo que ele lhe proporciona, sem pensar nas consequências que isso pode trazer a sua vida. Ela se abdicou de responder nossa pergunta sobre seu tipo favorito de roupas, mas como ela mesma disse que tem uma vida de nômade, que preferimos chamar de cigana. Temos uma ideia de como seja suas roupas! Ao que parece a família de Danielle não concorda com seu estilo de vida, e são eles os únicos “inimigos” dos quais ela possui em sua jornada. Bem, diante de tudo citado acima, convidados a autora Manuela Marques Tchoe a nos enviar o livro: Ventos Nômades. Para que o leiamos e assim possamos emitir uma opinião mais detalhada sobre à Danielle que já deixou claro que não tem seu nome citado no livro, mas tudo bem! Enquanto a autora não atende ao nosso pedido, compre agora mesmo o livro “Ventos Nômades” entrando no site da loja da editora Pendragon. O livro encontra-se à venda por apenas R$19,90. (Atualmente o livro, está por R$ 15,00, mas esse valor é promocional, então aproveite!)

Compre o livro “Ventos Nômades”!!!
]]>

0 Comentários

Deixe uma resposta

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password

%d blogueiros gostam disto: