Aplicativo e site de auxilio emergencial do novo coronavírus enfrenta instabilidades

Auxilio Emergencial

População tem encarado instabilidades no cadastramento para receber beneficio emergencial

Nesta terça-feira, 07 de abril, o Governo Federal liberou para a população o acesso ao site e ainda ao aplicativo que será utilizado para o cadastramento ao auxilio emergencial que será pago a trabalhadores informais e autônomos em virtude da pandemia do novo coronavírus que fez com que essas pessoas perdessem renda.

O aplicativo está disponível para smartphones que rodem o sistema Android e IOS e podem ser baixados diretamente na loja de aplicativos de cada uma das plataformas, além disso, o Governo ainda liberou um número telefônico que pode ser utilizado para a retirada de dúvidas referentes ao auxilio.

O número que irá esclarecer dúvidas sobre o auxilio emergencial pode ser acessado ao discar o número 111,  o governo enfatiza que o aplicativo e site do auxilio emergencial são apenas os disponibilizados na data de hoje e qualquer outro site ou aplicativo são falsos e estão sendo utilizados por golpistas.

O aplicativo foi liberado em acordo com as empresas de telefonia, para que assim pessoas que estejam sem crédito consigam o baixar normalmente.

Até o momento mais de 600 mil pessoas realizaram o cadastramento por meio do site ou ainda do aplicativo, no entanto, devido a grande demanda.

Tanto o site, como o aplicativo tem enfrentado instabilidades, algo que dificulta o cadastramento da população, tais instabilidades se devem devido ao excesso de pessoas tentando se cadastrar.

O aconselhável no momento é esperar que a procura diminua, para aí sim, realizar o cadastro. O auxilio será pago por meio do Banco do Brasil ou ainda pela Caixa Econômica Federal, correntistas destes bancos terão o auxilio debitado em suas contas já na quinta-feira, 09 de abril.

Quem estava registrado no CadÚnico até 20 de março de 2020 ou já recebe Bolsa Família não precisa fazer um novo cadastro.

Quem precisa fazer o cadastro são os trabalhadores sem carteira assinada (informais), quem contribui para a Previdência como autônomo ou como MEI (microempreendedor individual).

A previsão do governo é que entre 15 milhões e 20 milhões de trabalhadores informais façam o cadastro para receber o benefício. O pagamento deve custar R$ 98,2 bilhões ao governo federal. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou uma medida provisória (MP) que abre crédito neste valor para bancar o programa.

Qual o valor será pago e por quanto tempo?

Cada pessoa que tiver direito deve receber três parcelas de R$ 600. A lei prevê a possibilidade de o governo prorrogar o benefício enquanto durar o estado de calamidade pública por causa da covid-19.

Cada família pode acumular, no máximo, dois benefícios, ou seja, R$ 1.200. A mulher que sustentar o lar sozinha terá direito a R$ 1.200.

Fernando Azevedo18168 Posts

    Sou formando em Ciências Contábeis pelo Centro Universitário de Votuporanga, SP, (UNIFEV), e um aspirante a jornalista que escreve sobre TV desde meados de 2009 quando iniciei o Portal S4, além disso, ainda sou autor nas horas vagas tendo dois livros publicados e diversos e-books à venda na Amazon.

    0 Comentários

      Deixe uma resposta

      Login

      Bem vindo! Faça login na sua conta

      Lembre de mim Perdeu sua senha?

      Lost Password

      %d blogueiros gostam disto: